Acompanhe as novidades

Voltar

A verdade sobre a Ginecomastia!

Publicado em 27/06/2019
A verdade sobre a Ginecomastia!

Ao atingir a puberdade, muitos homens jovens, entre 13 ou 14 anos, começam a sofrer alterações hormonais que causam mudanças por todo o corpo. Dentre elas, uma possível mudança é o crescimento anormal das mamas, que geralmente voltam ao normal, mas em casos mais raros, persistem até a vida adulta. É aí que ocorre a ginecomastia, que se trata de uma hipertrofia mamária.

Caso você seja uma pessoa que se encaixa nessa descrição relatada acima, não precisa se desesperar. Neste artigo você entenderá o que pode estar causando esta condição e como resolver.

Ginecomastia

Por que a ginecomastia acontece?

Ocorre devido à produção mais intensa que o normal de estrogênio, hormônio mais presente no organismo feminino. Pode atingir tanto uma mama quanto as duas. Algumas causas podem ser patológicas, como por exemplo, ser consequência de tumor, hipertireoidismo, gordura no fígado, etc. Mas também pode ocorrer devido a efeitos colaterais de remédios.

É normal que nos primeiros momentos, o crescimento se assemelhe a um nódulo e o indivíduo sinta dor ao tocar, mas com o passar do tempo, a dor diminui e a anormalidade cresce.

A boa notícia é que a condição em si não traz riscos à saúde, como câncer de mama, por exemplo, mas é importante ficar atento às suas causas. O tratamento é muito mais eficaz quando se diagnostica a causa da ginecomastia.

A pseudoginecomastia

Vale mencionar que também existe a falsa ginecomastia, que se caracteriza por ser um depósito de gordura na mama. Não apresenta desequilíbrio hormonal, então não se recomenda o uso de remédios que controlam a produção de hormônios para tratá-la. Esta condição também é conhecida como lipomastia.

Acho que tenho ginecomastia. E agora?

O diagnóstico é realizado a partir de exames clínicos. Procedimentos como a mamografia podem auxiliar o profissional a realizar uma análise mais precisa.

E caso a condição não esteja relacionada a uma doença e não signifique riscos ao homem que convive com ela, sabemos que o impacto na autoestima é enorme.

Existem remédios que auxiliam no controle hormonal e auxiliam a evitar que a condição continue avançando. Mas, em caso de uma progressão contínua, que dure por vários meses e não seja controlada apenas com a utilização de remédios, a cirurgia de ginecomastia é recomendada.

Cirurgia de ginecomastia: entenda melhor

A cirurgia tem a finalidade de reduzir as mamas do homem. No caso da lipomastia, ou pseudoginecomastia, a solução é uma lipoaspiração, tradicional ou a laser, que remove a gordura excessiva.

No caso do aumento de tecido glandular, causado pelo desequilíbrio hormonal, é necessário executar a remoção de toda a glândula mamária. A quantidade de tecido removido varia de acordo com o tamanho da mama, o que influencia diretamente no tamanho da incisão. É necessário que todo o tecido seja removido ou a mama voltará a crescer. A cirurgia pode durar de 1 a 3 horas, dependendo da complexidade do caso.

Com anestesia local e sedação, ambas as cirurgias liberam o paciente para trabalhar cerca de três dias após o procedimento. A alta do hospital ocorre no mesmo dia em que a cirurgia é realizada.

É importante escolher um profissional confiável e com excelência no mercado para que a cirurgia seja realizada com eficiência e não gere consequências indesejadas.

Lembre-se de que casos podem ter causas variadas, então o médico precisa analisar minuciosamente seu sistema para atingir o diagnóstico correto. Sempre consulte um médico antes de tomar qualquer decisão.

Para qualquer dúvida que possa ter persistido, agende sua consulta conosco. É só clicar na imagem abaixo:

Ginecomastia tire suas duvidas

Ainda tem dúvidas?

Envie sua dúvida para o Dr. Marcos Teixeira:

* campos obrigatórios
×

Ligamos para você

Preencha os dados abaixo e entraremos em contato o mais breve possível.

* campos obrigatórios
×

Orçamento rápido

Preencha os dados abaixo e entraremos em contato o mais breve possível.

* campos obrigatórios
×